AO DEUS TRINO

Ó Deus bom Pai e benfeitor;
A Ti rendemos com ardor
Louvor leal sem fim,
Senhor de todos nós Sustentador!

E Tu Deus Filho ó bom Jesus;
Por nós sofreste numa cruz,
De Ti nos vem a clara luz,
Que nossos pés aos céus conduz!

Tu Deus Espírito veraz;
Oh! nossas almas satisfaz,
Com gozo com divina paz,
E as nossas aflições desfaz!

Ó infinito e excelso Deus;
Amparamos embora réus,
Com bençãos lá dos céus,
A todos nós, os filhos Teus!

Luther O.Emerson (1820-1915) – William E.Entzminger (1859-1930)

LOUVAMOS

Louvamos, louvamos, Senhor e adoramos
A Ti, ó Deus Homem no céu assentado;
Que em tempo devido, na terra humilhado,
Por nossos pecados morreste na cruz,
Por nossos pecados morreste na cruz.

Louvamos, louvamos, Senhor e adoramos
A Ti, que justiça de Deus sustentaste;
A pena sofrendo por nós merecida,
A vida depondo pra assim nos remir,
A vida depondo pra assim nos remir

Louvamos, louvamos, Senhor e adoramos
A glória divina por Ti revelada;
Que para nós brilha na luz espendente,
Fazendo-nos ver a real perfeição,
Fazendo-nos ver a real perfeição

Em Ti concilia-se a santa justiça,
Que não pode a culpa deixar sem castigo,
Com a compaixão que por graça recebe
E exime de culpas o réu pecador,
E exime de culpas o réu pecador.

Richard Holden (1828/1866)
John Francis Wade (1710-1786) – Adeste Fideles

O DEUS DE ABRAÃO


Ao Deus de Abraão louvai, do vasto céu Senhor
Eterno e poderoso Pai, e Deus de amor.
Augusto Deus Jeová, que terra e céu criou,
Minha alma o nome abençoará do Grande Eu Sou.

Ao Deus de Abraão louvai, eis, por mandado Seu,
Minha alma deixa a terra e vai gozar no céu
O mundo desprezei, seu lucro e seu louvor,
E Deus por meu quinhão tomei e Protetor.

Meu guia Deus será, Seu infinito amor
Feliz em tudo me fará por onde eu for.
Tomou-me pela mão, em trevas deu-me luz,
E dá-me eterna salvação por meu Jesus

Meu Deus por Si jurou; e nEle confiei,
E para o céu que preparou eu subirei.
Seu rosto irei eu ver, fiado em Seu amor,
E eu hei de sempre engrandecer Meu Redentor.

Daniel Ben Judah Dayyam (século XV)
Thomas Oliveira (1725-1799)
Melodia Hebraica

EXULTAÇÃO

A Deus demos glória, com grande fervor;
Seu Filho bendito por nós todos deu,
A graça concede ao mais vil pecador,
Abrindo-lhe a porta de entrada no céu.

Exultai! Exultai! vinde todos louvar
A Jesus, Salvador, A Jesus, Redentor;
A Deus demos glória, porquanto no céu,
Seu Filho bendito, por nós todos deu.

Oh! graça real, foi assim que Jesus,
Morrendo, seu sangue por nós derramou!
Herança nos céus, com os santos em luz,
Comprou-nos Jesus, pois o preço pagou.

A crer nos convida tal rasgo de amor,
Nos merecimentos do Filho de Deus;
E quem, pois, confia no seu Salvador,
Vai vê-lo sentado na glória dos céus.

Fanny Jane Crosby (1820-1915)
William Howard Doane (1832-1915)

VINDE ADORAR

Oh! vinde adorar, o excelso e bom Deus,
Eterno Senhor da terra e dos céus,
Que reina supremo, envolto na luz,
E que se revela em Cristo Jesus.

Seu grande poder, deveis contemplar,
No brilho do céu, na terra e no mar,
As gotas de orvalho, sim, toda flor
Proclamam constantes Seu grande Autor.

Henry Maxwell Wright (1849-1931)
William Kanapp (1698-1768)

O AMOR DE DEUS

Decorridos eras são, desde que aos judeus;
Cristo fez proclamação do grande amor de Deus.
Que profundo amor se via, quando aqui andou
Terna, santa simpatia Ele nos mostrou!

Veio aos cegos vista dar, Luz nas trevas ser;
Pecadores quis salvar, perdidos recolher.
Que profundo amor se via, quando aqui andou
Terna, santa simpatia Ele nos mostrou!

Nunca os pobres desprezou, sempre os recebeu;
Paga sempre recusou, de graça tudo deu.
Que profundo amor se via, quando aqui andou
Terna, santa simpatia Ele nos mostrou!

Tempos já passados são, Cristo o mesmo é;
Vida, vista Salvação, obtem se pela fé.
Que profundo amor se via, quando aqui andou
Terna, santa simpatia Ele nos mostrou!

Phillip P.Bliss (1838-1876)
Stuart E.McNair (1867-1959)
Adap. arranjo mid e gravação mp3: AFDahmen

AMOR SEM IGUAL

Oh não tens ouvido do amor sem igual, do amor que teu Deus tem por ti?
Do amor que O levou a Seu Filho entregar pr’os salvos levar para Si!

Oh crê! oh crê, a graça de Deus te chama dos céus
Oh crê neste amor sem igual!

Não foram os grandes que Cristo chamou, nem justos veio Ele salvar;
Mas pobres e fracos, culpados e maus, mandou pelos servos chamar!

O homem, porém não podia chegar à santa presença de Deus.
Porque seus pecados qual grande montão, vendavam-lhe a entrada nos céus!

Mas pelo Seu sangue Jesus expiou a culpa dos crentes na cruz,
Tirando o pecado caminho mostrou, o qual para o céu nos conduz.

E tu pecador não desejas então, o amor do teu Deus conhecer?
Por fé no Senhor, como teu Salvador, irás alcançar tal prazer.

Anônimo – Stuart E.McNair (1867-1959)

ALEGRE NOVA NOS CHEGOU

Alegre nova nos chegou: O grande Deus assim amou,
A todo o mundo pecador, que deu Seu Filho benfeitor,
Em sua redenção.

Aquele pois que em Cristo crer, a vida eterna passa a ter,
Jamais a morte vai provar, no céu porém irá gozar,
A plena Salvação.

Mister é Cristo conhecer, E dele em tudo depender,
Guardar a Sua santa lei, e coroá-Lo nosso Rei
De todo o coração.

Ó mundo todo, a Cristo vem, ao que concede todo o bem,
Que poderá tornar feliz a cada povo e seu país
Com Sua proteção.

Albert Lister Peace(1844-1912)
William E.Entzminger (1859-1930)

AMOR PERENE

Amavas me Senhor, não tendo a Luz ainda
Surgido lá nos céus ao mando criador;
Nem mesmo o sol na aurora esplendorosa e linda,
À terra dava força fecundande infinda
Meu Deus, que amor, Meu Deus que antigo amor.

Amavas me Senhor, no tempo em que imolado
Foi numa cruz sangrenta o meigo Salvador;
Levando sôbre Si sim todo o meu pecado,
O Santo de Israel, o Teu Cordeiro amado
Meu Deus, que amor, Meu Deus que imenso amor.

Amavas me Senhor, no fundo de meu peito
Brilhou a doce Luz do meu Consolador;
E com promessas mill do Teu amor perfeito,
Nasceu em mim a fé, em que hoje me deleito
Meu Deus, que amor, Meu Deus é todo amor.

A mim sempre hás de amar, Pois que jamais o inferno
E o mundo poderão a Teu querer se opor;
Ao Teu decreto ó Rei, ao Teu decreto eterno
Ao Teu amor ó Pai, ao Teu amor supremo
Meu Deus, que amor, És sempre sempre amor

Guilherme Luiz S.Ferreira (1850-1934)
Melodia Francesa